quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia Internacional da Mulher




Daniela Vilaça da Cachaça Viola e Prosa - Foto: André Fossati 


Um dia para ser comemorado e devia ser feriado!
Sim, feriado e que neste dia nenhuma delas trabalhasse... uma utopia!
Mesmo sem ser remunerada, a mulher é e sempre foi, uma eterna trabalhadora. 
O que seria dos homens sem as mulheres?

Então... as mulheres estão sempre presentes e dia-a-dia habitando lugares e funções que pensávamos ser apenas masculinas, sem deixarem de ser femininas. Exemplos, estão aí por toda parte, em diversos mercados de trabalho elas são preferidas pela sua capacidade, atenção, cuidado, delicadeza...

E no mercado da Cachaça não poderia ser diferente, a mulher já faz parte dele a muito tempo. Se antes ela ajudava - como conta Alessandra Garcia Trindade que é autora de um dos melhores e mais completos livros sobre a Cachaça: Um Amor Brasileiro "em 
Minas, quando começou aquela época de exploração de pedras preciosas, quem cuidava da cachaça eram as mulheres. Os homens ficavam lá extraindo riquezas e as mulheres, 
sempre muito presentes, é que produziam a cachaça. E a gente vê a relação das 
mulheres com a cachaça desde o início." - hoje em dia sua função já é de empreendedora. 


A Cachaça desde o nome já feminina e "a mais brasileira das bebidas, símbolo nacional, com qualidade, charme e sofisticação. Quem prova cachaça, quer beber um pouco de nosso País e comprovar que estilo e sofisticação podem estar associados a um produto genuinamente brasileiro" - disse Marcelo Copello, que é um dos principais formadores de opinião da indústria do vinho no Brasil, reconhecido internacionalmente como um dos maiores wine writers brasileiros. 

O trabalho de valorização da Cachaça, dentro do nosso próprio país, vem recebendo a adesão de muitas mulheres, talvez pelo sentimento de nacionalidade, curiosidade feminina, capacidade de sentir e apreciar sabores e aromas, além de suas qualidades natas de criar e cuidar.

Uma dessas mulheres é a paraibana Anna Carolina Fonseca, dona de um alambique, que luta para colocar sua cachaça no mercado e diz que “produzir cachaça é como um filho, você vai entendendo, compreendendo e vai adquirindo aquele apreço. Dá trabalho, mas a gratificação é imensa.”




Uma das melhores cachaças e que faz parte do ranking das melhores do Brasil tem uma mulher como proprietária, administradora e até alambiqueira, é a Cachaça Maria Izabel (7ª colocada) produzida em Paraty-RJ por Maria Izabel. Outras tão boas quanto, também são administradas por mulheres como : a mineira Cachaça Germana (4ª colocada) por Dirlene Maria Pinto; em Macaé-RJ a Veritas por Renata Santos Crespo; a mineira Cachaça Diva por Cintia Cardoso de Souza Melendez; a paulista Cachaça Conceição por Ana Cristina Bernardes; a potiguar Maria Boa por Miriam Cerutti; a mineira Domina Suave por Maria da Paz Arruda; a paranaense Engenho da Serra por Sueli Gnatta; a gaúcha Fonte Imperial por Andreia Britto; a mineira Cachaça Da Boa Esperança por Silvia Helena S. Moura; a mineira Cachaça Prosa e Viola por Daniela Vilaça (foto acima); e a lista é bem maior e cresce a cada dia.

Apreciar e saber diferenciar os vários tipos de cachaças, não é um trabalho fácil, mas aí também já temos representantes femininas, como a sommelier de cachaças Fernanda Nepomuceno que criou camisetas com a frase "Eu tenho estilo, eu bebo cachaça" para distribuir às amigas degustadoras. 




A degustação da cachaça pelas mulheres vem crescendo também, mas ainda a forma mais apreciada é através dos drinques, como a nossa famosa e deliciosa Caipirinha. Mas além dela existem centenas de outros tão deliciosos quanto, você pode encontrar vários deles no livro Coquetéis com Cachaça de Miriam Cerutti.



Para comemorar brindamos com Cachaça à todas, 
as maravilhosas mulheres que conquistam o mundo a cada dia!

Parabéns pelo seu dia,
Saúde e Felicidades!

2 comentários :

  1. Que curtição! O texto ficou de extremo bom gosto. Não sei se gostei mais do fato de ser dia da mulher ou das variedades de cachaças!

    ResponderExcluir
  2. Olá Cristina, que bom que gostou!
    Realmente a variedade de cachaças deste Brasil é imensa e cada uma delas tem um aroma e sabor diferente.
    Nós brasileiras e brasileiros, é que ainda não conhecemos o que temos de bom, na verdade conhecemos apenas as industrializadas, que não se comparam às de alambique!
    Seja bem vinda e SEMPRE apreciando com moderação, este é o segredo!

    ResponderExcluir